Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Alunos da Escola Estadual Antônio de Castro, de Alvorada, participam do projeto Consumo Consciente

Publicação:

902249d7 226a 49b2 8d76 c7d91d5495eb
Crédito: - Foto: Seduc
Por Cainan Silva sob a supervisão de Diego da Costa

A Escola Estadual Antônio de Castro, de Alvorada, promove o projeto Consumo Consciente com cerca de 300 estudantes do Ensino Médio. Na iniciativa, os alunos são desafiados a pensar em formas de descarte de lixo e resíduos. A ação de sustentabilidade é organizada pela professora Camila Morano da Conceição. Cada grupo escolhe um assunto específico dentro do tema para desenvolver ações práticas. Os tópicos decididos variam desde a utilização de produtos vendidos em refil até a arrecadação de roupas. Os alunos terão até o fim do ano para finalizar o projeto, quando eles produzirão um artigo científico para a disciplina de Linguagem na Construção de Projetos.

“Em aulas sobre sustentabilidade, procuro fazer com que os estudantes pensem como cidadãos a questão do consumo consciente. Eles trouxeram depoimentos sobre ações que a família fazia em prol do meio ambiente, como a utilização de ecobags e caixas em supermercados em vez de sacolas plásticas. Passei a ensinar, então, sobre a importância do cuidado com os resíduos e da reciclagem. Surgiu a ideia de criamos oficinas que misturassem as experiências dos alunos com a temática da aula. Me sinto muito realizada como professora”, explicou a professora Camila.

A estudante Maria Eduarda Soares faz parte, com outros seis colegas, de um grupo que trabalha sobre a importância do descarte correto do óleo de cozinha. “Tem uma história por trás da escolha do tema, pois eu faço parte de um projeto sobre descarte de óleo desde os 12 anos. Lá aprendi como descartar corretamente o óleo e como fazer sabão com ele. Muita gente não sabe como fazer e isso é muito prejudicial ao meio ambiente. Quando surgiu a oportunidade de fazer um trabalho sobre sustentabilidade eu dei a ideia do tópico para os meus colegas e eles concordaram na hora”, explica Maria Eduarda.

A escola possui cerca de 20 galões de água decorados distribuídos pelo local para a coleta de tampinhas de garrafa pet. O intuito é doá-las para uma ONG que realiza a castrações em animais de rua. Caixas para o armazenamento de garrafas de óleo e outros materiais como cartelas de remédios vencidos e pilhas também estão disponíveis. “O trabalho realizado foi muito relevante, pois nossos alunos puderam aprender a reciclar, a se reinventar e como cuidar do meio ambiente”, conta o diretor da escola André Lunkes.

Secretaria da Educação