Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Chama Crioula do Colégio Júlio de Castilhos marca comemorações do mês Farroupilha

Escola estadual é considerada um marco do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG)

Publicação:

Cavalarianos levaram a centelha da chama até o candeeiro exposto no saguão do Colégio Júlio de Castilhos
Cavalarianos levaram a centelha da chama até o candeeiro exposto no saguão do Colégio Júlio de Castilhos - Foto: Seduc
Por Seduc

As comemorações do mês Farroupilha chegaram com força nas escolas estaduais. No último sábado, 7 de setembro, os cavalarianos do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) levaram a centelha da Chama Crioula até o candeeiro exposto no saguão do Colégio Júlio de Castilhos, na Capital. A ação, que ocorre tradicionalmente na instituição de ensino, foi criada por um grupo de ex-alunos, entre eles, Paixão Côrtes.

A diretora do famoso Julinho, Maria Berenice Alves, enaltece a importância da celebração para os professores, alunos e comunidade em geral. “O Colégio Júlio de Castilhos tem o seu papel de destaque na formação de nomes importantes na história gaúcha. De geração em geração este reconhecimento é repassado e nós permanecemos sendo uma referência para a população do nosso Estado”, destaca.

Paixão Côrtes

Nascido em Santana do Livramento, em 12 de julho de 1927, em 1939, aos 12 anos, mudou-se com a família para Uruguaiana. Em meados da década de 1940, já estava instalado na Capital. Formou-se em Agronomia na UFRGS, em Porto Alegre, e foi funcionário da Secretaria de Estado da Agricultura.

Ao longo das décadas de 1940 e 50, ao lado de Lessa e do Grupo dos Oito (turma de amigos do Colégio Júlio de Castilhos empenhados na pesquisa da tradição gaúcha), Paixão foi o mentor de uma série de solenidades que visavam chamar a atenção para os símbolos socioculturais do gauchismo: a Chama Crioula (criada em 1947, como uma extensão da Chama da Semana da Pátria), o Desfile dos Cavalarianos, a Ronda Crioula (que, nos anos 1960, deu origem à Semana Farroupilha), e o primeiro Centro de Tradições Gaúchas, criado em 1948 com o nome de CTG 35.

Cavalarianos levaram a centelha da chama até o candeeiro exposto no saguão do Colégio Júlio de Castilhos
Filho do Paixão Côrtes foi homenageado durante evento - Foto: Lucas Nogare

 

 

Secretaria da Educação