Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Divulgada lista dos estudantes gaúchos selecionados para o Parlamento Jovem Brasileiro 2019

Alunos irão vivenciar o trabalho de um deputado federal, em Brasília, entre os dias 23 e 27 de setembro

Publicação:

Estudantes simulam o dia a dia da atividade parlamentar ao longo de uma semana na Câmara dos Deputados
Estudantes simulam o dia a dia da atividade parlamentar ao longo de uma semana na Câmara dos Deputados - Foto: Luís Macedo/ Câmara dos Deputados
Por Diego da Costa

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) está divulgando a lista dos cinco estudantes gaúchos que foram selecionados para participar da etapa nacional do Programa Parlamento Jovem Brasileiro 2019 (PJB). Os participantes, que tem entre 16 e 22 anos e estão no Ensino Médio, irão vivenciar, bem como desempenhar, o trabalho de um deputado federal por meio de debates e votações dentro da Câmara dos Deputados, em Brasília, entre os dias 23 e 27 de setembro.

São eles: Alice Lourenço da Silva, do Colégio Leonardo Da Vinci Alfa (Rede privada); Andressa Poletto, da Escola Estadual Anchieta; Bárbara Leidens, da Escola Estadual Nicolau de Araújo Vergueiro; Misael Carpes do Nascimento, do Instituto Federal do Rio Grande do Sul; e Vanessa Martins, do Colégio Metodista Americano (Rede privada).

O coordenador do programa no Rio Grande do Sul, Clark Sarmento, destaca a importância de incentivar a participação dos jovens nos espaços públicos. “Além da experiência em si, de entender como funciona uma Casa Legislativa, o programa auxilia os jovens a compreenderem o papel das instituições e a necessidade da participação da população”, explica.

Trabalho em sala de aula

A Escola Estadual Anchieta, do município de Marau, na 7ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), é um dos grandes destaques do Estado. Desde 2016, quando começou a trabalhar o Programa Parlamento Jovem Brasileiro em sala de aula, a instituição de ensino teve 30 alunos classificados em nível estadual e oito em nível nacional.  Muito deste trabalho se deve à dedicação da professora Marinilva Dalmoro. Ela, que leciona História, conta que busca incentivar e orientar os estudantes a trabalharem temas que sejam de relevância na vida dos cidadãos.

“Eu comecei a desenvolver este projeto na sala de aula há quatro anos e muitos de nossos estudantes conseguiram chegar lá. Eles voltam completamente transformados e muitos, inclusive, mudam de ideia na hora de fazer o vestibular porque desejam entender mais sobre as leis. É aí que você vê que o seu esforço realmente valeu a pena”, afirma.

Uma destas sementes transformadoras da professora Marinalva é a aluna Andressa Poletto. A jovem de 16 anos é um dos cinco estudantes selecionados para ir à Brasília. O projeto de lei elaborado por ela foi baseado na dificuldade que as produtoras rurais, casadas com maridos donos de empresas, tem de se aposentar. Sua madrinha seria uma destas pessoas prejudicadas pela lei atual e serviu como modelo para sua ideia.

“Eu proponho, através deste trabalho, que o INSS revogue todo os pedidos negados porque isso é uma injustiça. Muitas mulheres trabalham na roça desde os 10 anos e não podem ter o direito ao seu próprio sustento na velhice em função dos rendimentos dos maridos”, enfatiza.

Estudantes da Escola Estadual Anchieta, de Marau, que foram selecionados na edição de 2018
Estudantes da Escola Estadual Anchieta, de Marau, que foram selecionados na edição de 2018 - Foto: Divulgação

Interesse dos estudantes

A Escola Nicolau de Araújo Vergueiro, do município de Passo Fundo, não trabalha diretamente com o Programa Parlamento Jovem Brasileiro. Entretanto, conta com uma aluna engajada na defesa das crianças que sofrem violência doméstica.

Bárbara Leidens, do 3º ano do Ensino Médio, tem 16 anos e também foi escolhida para ir até a Câmara dos Deputados e apresentar seu Projeto de Lei. Ela propõe a criação de um programa em que os Conselhos Tutelares visitem às escolas e periodicamente conversem com os alunos. Desta forma, não haveria necessidade de que um adulto fizesse a denúncia.

“Estava numa aula de sociologia e fiquei muito comovida com o assunto. Acredito que se o poder público se fizer presente nestes locais, as próprias crianças podem contar o problema que vivenciam”, enaltece.

 

Confira a lista completa

NOME

ESCOLA

CIDADE

ALICE MAUCH LOURENÇO DA SILVA

COLÉGIO LEONARDO DA VINCI ALFA

PORTO ALEGRE

ANDRESSA POLETTO

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO ANCHIETA

MARAU

BÁRBARA NITSCHE LEIDENS

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA

NICOLAU DE ARAÚJO VERGUEIRO

PASSO FUNDO, RS

MISAEL CARPES DO NASCIMENTO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO,

CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE

PASSO FUNDO

VANESSA MARTINS

COLÉGIO METODISTA AMERICANO

PORTO ALEGRE

 

Secretaria da Educação